Blog

Manejo de vacas leiteiras no período de pré-parto

13Mai / 2016

Manejo de vacas leiteiras no período de pré-parto

Sabe-se que há tempos atrás as vacas secas ou no período pré-parto não tinham a devida atenção. Atualmente, técnicos e produtores atentaram - se a essa categoria e concluíram que esta fase é de extrema importância na vida produtiva do animal, onde a vaca é condicionada para a próxima lactação. O manejo desta fase consiste em evitar distúrbios metabólicos e explorar o máximo potencial de produção, ou seja, as vacas secas são um investimento para a propriedade.

 

Vacas secas = Período preparatório = Investimento

O período seco de uma vaca ocorre sessenta dias antes do parto e o período de transição são as três primeiras semanas que antecedem o parto e três semanas após o parto, onde ocorre a maioria dos distúrbios metabólicos, como febre do leite, cetose, deslocamento de abomaso, e metrite, o que aumenta o tempo de puerpério.

O aumento no numero de desordens metabólicas e digestivas acarreta uma serie de problemas, menor pico de lactação, consequentemente menor produção durante a lactação, perda de condição corporal, desempenho reprodutivo prejudicado e maior taxa de descarte no rebanho.

A tabela (Figura 1) abaixo mostra o impacto de algumas desordens metabólicas e outros transtornos observados durante o período pré-parto sobre a produção e reprodução.

Figura 1. Desordens metabólicas e outros transtornos durante o período de pré-parto sobre a produção e reprodução.

                                                                                                                                                                                                

 

 

 

Estratégia de manejo durante a fase de transição no pré-parto.

Vacas no inicio do período seco podem ser alimentadas com pastagem de boa qualidade, feno de boa qualidade, silagem  ou combinações destes; no entanto no final do período seco ocorre grande aumento do crescimento fetal. O feto toma espaço, comprime os órgãos ligados aos processos de digestão, e logo comprometem o espaço físico e ingestão de matéria seca. Este fato, associado com a grande variação hormonal no período pré-parto, ou seja, aumento nas concentrações sanguíneas de estrógeno e corticoides e uma queda nas concentrações de progesterona (Chew et al., 1979), reduz o consumo de matéria seca em até 30%.

Deste modo, estimular os animais a ingerirem alimento, para que haja um enchimento ruminal pleno, evitando deslocamento de abomaso, e se atentar ao teor de potássio no volumoso, são essenciais para o sucesso do planejamento nutricional periparto de vacas leiteiras. Isso diminui o risco de febre do leite entre outros problemas relacionados (metrites, retenção de placenta, retenção de abomaso e natimortos). Caso haja teor elevado de potássio no volumoso, sais aniônicos devem ser adicionados à dieta. Também é importante aumentar o aporte energético da dieta no período pré-parto para adaptar o animal a dieta de inicio de lactação e amenizar o balanço energético negativo.

 

Osvaldo Alex de Sousa

Graduando em Zootecnia

FCAT – UNESP Dracena

Comente:

Fundada em 1951, a COIMMA é hoje a maior fabricante de balanças e troncos da América Latina.Saiba Mais!