Blog

Rendimento de Ganho de Carcaça

05Abr / 2017

Rendimento de Ganho de Carcaça

Na bovinocultura de corte o produtor recebe pelo peso de carcaça de seus animais, ou seja, o rendimento de carcaça é de extrema importância, e há diversos fatores que interferem o peso de carcaça dos animais: genética, grau de acabamento da carcaça, idade e nível energético da dieta. Por exemplo, com o aumento de peso do animal e aumento da deposição de gordura aumenta o rendimento de carcaça.

Dietas ricas em carboidratos altamente fermentáveis (dietas mais energéticas) aumentam a deposição de gordura na carcaça. Comumente adota-se para animais magros rendimento de carcaça entre 48 e 51%, os quais após abatidos apresentam 50 a 55% de rendimento, como consequência dos fatores citados acima.

No entanto, o que seria rendimento de ganho? Entende-se por rendimento de ganho como a porção do ganho de peso vivo que se converteu em carcaça, questão de extrema importância no momento de se calcular o preço da @ produzida.

Ferramentas técnicas e produtores adotam o seguinte cálculo para se determinar o custo da @ produzida em confinamento: supondo que o animal tenha ganho ou esteja ganhando 1,000 kg/dia, multiplica-se este ganho por 50%, chegando ao valor de 500 gramas de carcaça. Dividindo o custo diário por cabeça pelo ganho de 500 gramas de carcaça e em seguida multiplicando o resultado por 15 (peso de uma @) chega-se ao valor da @ engordada. Outra maneira é usar o rendimento de ganho onde usa a porção real do ganho de peso do animal que foi convertido em carcaça.

Situação essa que na maioria das vezes supera 50%, chegando em valores de até 87% (Coleman et al., 1995). Segundo Cervieri (2005) valores entre 60 e 65% de rendimento de ganho são frequentemente obtidos na engorda em confinamento no Brasil. Logo, o ganho de carcaça se dá pelo aumento de tecidos componentes da carcaça (ossos, músculo e gordura).

A nutrição do animal e composição tecidual é de extrema importância no rendimento de carcaça. No gráfico abaixo se observa o rendimento do ganho na fase de recria e confinamento, ressaltando que o ganho em carcaça corresponde a mais que os 50% que comumente computamos.

Gráfico 1. Ganho de peso vivo e de carcaça nas fases de recria e engorda.

No exemplo que se segue é possível constatar as diferenças quanto ao custo da @ engordada, calculado de três maneiras distintas: 1) assumindo que o rendimento do ganho seja de 50%, ou seja, igual ao rendimento de carcaça comercial para bois magros no início do confinamento; 2) considerando o rendimento do ganho igual ao rendimento final de carcaça, neste exemplo 54%; e finalmente 3) levando em conta o aumento de rendimento de carcaça propiciado pela engorda, com 50% no início e 54% ao abate.

Dados utilizados na simulação:
– Peso vivo inicial: 360 kg (12@ com 50% de rendimento de carcaça);
– Peso vivo final: 480 kg (17,28@ com 54% de rendimento de carcaça);
– Ganho de peso médio diário: 1,500 kg/dia
– Dias de confinamento: 80 dias
– Custos com alimentação: R$ 560 (R$ 7,00/cabeça/dia x 80 dias)
– Custos operacionais: R$92 (R$ 1,15/cabeça/dia x 80 dias)

Tabela 1. Comparativo do custo de produção da @ engordada.

  50% 54% 50% e 54%
Custo total de Produção R$ 652,00 R$ 652,00 R$ 652,00
@ ganhas 4,00 4,32 5,28
R$/@ engordada R$ 163,00 R$ 150,92 R$ 123,48
Rendimento do ganho 50% 54% 66%
Índice para custo da @ 132 122 100

 

 

 

 

 

Como demonstrado na dinâmica, quando não levamos em conta o rendimento de ganho de maneira correta, o preço da @ engordada é cerca de 32% maior! O que demonstra que o rendimento de ganho não é o mesmo que rendimento de carcaça, o qual é usado diversas vezes para o cálculo da @ engordada. Para chegar ao valor do rendimento do ganho usa-se a seguinte equação:

Rendimento de Ganho = ( (PCQF - PCQI)*100)/GPD

                         PC

 

Em que: PCQF = peso de carcaça quente final (kg); PCGI = peso de carcaça quente inicial (kg); PC = período de confinamento; GPD = ganho de peso diário (kg).

O cálculo correto do preço da @ engordada é fundamental para boa condutividade da atividade de engorda em confinamento. Essa ferramenta (rendimento do ganho) é de extrema importância que técnicos e produtores a dominem, pois esta pode viabilizar ou não, ou interferir na decisão sobre a estratégia a se adotar para terminar bovinos em confinamento.

 

Osvaldo Sousa

Graduando em Zootecnia

FCAT – UNESP Dracena

Comente:

Fundada em 1951, a COIMMA é hoje a maior fabricante de balanças e troncos da América Latina.Saiba Mais!